wrapper

gisa barros psb 28 05 2018Na Tribuna da Câmara Municipal de Várzea Grande, a vereadora Gisele Aparecida de Barros, a "Gisa Barros" (PSB), relata que na terça feira 06, às 9 horas, foi entregue as Patrulhas Maria da Penha em frente ao Paço Couto Magalhães, Projeto da Rede de Enfrentamento da Violência Doméstica Contra a Mulher no Município de Várzea Grande e de Nossa Senhora do Livramento.

A vereadora Gisa disse que viu esse projeto como uma sementinha que foi plantada aqui no município pelas instituições as quais fazem parte a OAB, Defensoria Pública, Prefeitura Municipal de Várzea Grande, Delegacia da Mulher dentre outras instituições; no projeto inicial falava-se de implantar essa patrulha em meados do ano, mais devido à complexidade da implantação de um outro projeto de Serviço de Reflexão para Homens - SER, que cometem a agressão a algum tipo de delito contra a mulher. Dentro destes dois projetos no momento serão acompanhadas 20 mulheres que neste mês de outubro tiveram medidas protetivas aplicadas pela justiça dentro da proposta da Patrulha Maria da Penha e do segundo Projeto do SER.

Portanto a entrega das patrulhas, fará rondas e visitas as mulheres que sofrem agressão domésticas por parte de seu companheiro, a agressão não é somente física, ela pode ser moral, psicológica, ela é ampla, a mulher que sofre violência doméstica pode encaminhar a uma delegacia denunciar e pedir medida protetiva.

Todas aquelas mulheres que morem no munícipio de Várzea Grande terem a medida protetiva solicitada, poderá ter o direito a visita da patrulha para sua proteção, isso logo que o serviço for se ampliando na região, hoje conta com apenas nove viaturas, para específica função.

“Hoje fico feliz, pelas mulheres de varzea-grandense, que poderão lançar mão de um instrumento que poderão ser defendidas por homens da lei, assim como a Defensora Pública Tânia Regina Matos, disse em seu discurso, que homens que farão essa patrulha serão profissionais sensíveis a esse grave problema que assola o nosso país e que estarão a frente aqui em nosso município", diz Gisa.

“Desde o mês de janeiro até o mês de Outubro já ouve índices altíssimos de feminicídios em nosso país, aqui em nossa região Centro Oeste, especificamente Mato Grosso é dos estados mais críticos nessas faixas, e temos que começar a combater efetivamente, é um marco histórico no município, e peço a cada um dos homens, senhores vereadores, mulheres, se virem uma mulher sendo agredida verbalmente ou fisicamente que interfira, pois há “um velho ditado em briga de marido e mulher não se mete a colher”, isso ficou no passado, devemos sim denunciar e hoje tem o 190, que é um meio de ligar gratuitamente para denunciar anonimamente se quiser, não deixe de denunciar, sempre que possível faça, ajude”, finaliza, Gisa Barros.

 

Formas de Violência Contra a Mulher

Segundo Art. 7º da Lei de nº 11.340\2006 são formas de violência doméstica e familiar contra a mulher, dentre outras formas.

I - Violência Física, entendida como qualquer conduta que ofenda sua integridade ou saúde corporal;

II - Violência psicológica, qualquer conduta que lhe cause danos emocional e diminuição da autoestima ou que lhe prejudique e que lhe perturbe o pleno desenvolvimento ou que vise degradar ou controlar suas ações, comportamentos crenças e decisões mediante ameaças, constrangimento humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição contumaz, insulto, chantagem, ridicularização, exploração e limitação do direito de ir e vir ou qualquer outro meio que lhe cause prejuízo à saúde psicológica e a audeterminação.

III – A Violência Sexual, É a que constrange presenciar a manter ou participar de relação sexual não desejada, mediante intimidação, ameaça, coação ou uso da força, que a induza a comercializar ou a utilizar, de qualquer modo, a sua sexualidade, que a impeça de usar qualquer método contraceptivos ou que a force ao matrimônio, à gravidez, ao aborto ou à prostituição, mediante coação, chantagem, suborno ou manipulação, ou que limite ou anule o exercício de seus direitos sexuais e reprodutivos.

IV – A Violência Patrimonial, É aquela que confere retenção, subtração, destruição parcial ou total de seus objetos, instrumentos de trabalho, documentos pessoais, bens, valores e direitos ou recursos econômicos, incluindo os destinados a satisfazer suas necessidades.

V – Violência Moral – Configura calúnia, difamação ou injúria.

 

 

 

banner prefeitura 2018

selo 150

visite site 2